Thursday, January 08, 2009

Eu não sei mais. Não sei mais nada. Sei apenas que existe algo de misterioso comigo. Alguma coisa dentro de mim que me força a caminhar pro lado contrário. Um grande vazio que me preenche e me assalta quando volto pra casa e fico imóvel olhando as paredes. Completamente só. Dissolvo-me em meu canto. Releio os poemas que me cortam como guilhotina num silêncio estilhaçante. Me olho no espelho e aceno um adeus. Um grande conforto. Às vezes saio por ai. Eu e meu sorriso enlatado. Fico observando as coisas e as pessoas e a cidade iluminada. Dirijo por toda a madrugada tentando fugir em círculos, pensando em saltar rumo ao desconhecido. Irremediavelmente perdido. Algo que me entusiasma e me apavora ao mesmo tempo. Às vezes alguns amigos vêm me visitar. Eles me contam sobre seus planos e projetos. E gesticulam bastante. Eu fico em silêncio até me sentir cansado. Chego a ficar constrangido. Depois peço que vão embora. Gosto mesmo da suavidade da solidão. Da serenidade que sinto quando estou inexplicavelmente triste. 

2 comments:

Adriana said...

Que texto! Bom pra cacete, bom pra concretizar alguma coisa que sinto semelhante e não soube explicar, bom pra mexer lá no fundo, acender um cigarro e pensar.

fervilheta said...

me vejo nessas palavras, que vc escreveu primeiro.