Tuesday, June 03, 2008

Bo Diddley is a Gun Slinger

Ontem peguei de relance no final do Jornal da Globo a notícia sobre a morte de Bo Diddley. Porra, o cara estava com 79 anos. Viveu bastante e fez mais que o suficiente. O negão que, junto à Chuck Berry e Little Richards, eletrificou e acelerou o blues a ponto dele se tornar o rock n roll, também inventou o hand jive, um estilo de tocar, às vezes num acorde só, que ainda é chupado hoje em dia. Suas músicas são a catarse sonora, com a guitarra base rasgada como milhares de telhas de amianto sendo esmagadas, uma solando cheia de estilo, as crioulas doidas enlouquecidas nos backing vocals e muita, muita safadeza e tiração de onda. O foda, ontem, foi que fiquei pensando no assunto enquanto os créditos do noticiário subiam: porra, por que não morre logo o Lulu Santos? Nisso, de repente, eis que surge Lulu. Requebrando como uma geléia, com a boca de sapato jorrando perdigotos viscosos e andando nas pontinhas dos pés no palco do Programa do João Soares. Aquilo me fez um mal do caralho. Dizem, que quando você cita um elemento e ele aparece logo em seguida, significa que ele não morrerá jamais.

"Bo's Bounce" - Bo Diddley

3 comments:

ninguem said...

...então é melhor a gente começar a calar a boca!

...assistimo down by law em casa ontem...a cena do soluço...puta merda!

Se cuida, boneca.

Anonymous said...

A liberdade é interna. Logicamente, a vida tem limites e limitações. A ausência de limites mata. Quem atropela suas limitações não consegue sobreviver. Um rio existe porque tem margens, senão a água se espalha e ele deixa de existir

Anonymous said...

Carlos, leia um pouco de Stanislaw Ponte Peta.
esse carioca é excelente.

tu encontra livros dele nos sebos que ficam atras da catedral da sé.
ali há uns 10 sebos bons.