Friday, February 20, 2009

fraude descartável

Já faz muito tempo desde o dia em que você partiu. Havia algumas formigas no prato esquecido numa manhã opaca de outono. Marcas do seu lábio na borda de um copo com restos de vinho. O cinzeiro transbordava com ajuda do vento. Ninguém deu a mínima na vizinhança. Mas eu me lembro perfeitamente. Que droga. Do final da tarde. Dos prédios e das janelas que limitavam nosso horizonte, e se destacavam nitidamente do céu que escurecia e abraçava tudo em sombras, me alertando que a noite seria longa, dolorosamente, eterna.

3 comments:

Adriana said...

e como são eternas e tristes essas noites.

jiraia said...

ai carcara, du caralho hein.beso na bunda

Guta said...

sabe quando vc está lendo um livro e rindo sozinho e de repente vc percebe que não teve uma reação de um alguém que costumava estar ali e não está mais e assim seu riso ficou perdido no silêncio, numa intersecção apenas entre você e as tipografias do papel ? senti isso agora. porque as formigas estão se acumulando no prato. vou ver você discotecar, será um prazer inenarrável querido. beijos