Wednesday, March 25, 2009

um poema, um peido

um poema, um peido

se existe algo que detesto

é gente

como transpira

conversa

e encosta

 

vão se foder

 

por mim,

conversava com os animais

 

sou burro

 

não sei falar.


"para meu amigo Adriano, o Ninguém"

7 comments:

ninguem said...

Se eu soubesse ler, agradeceria!!!

mariana said...

qto mais o tempo passa, mais eu detesto a maioria das pessoas...até rezaria se aquela oração fosse assim: nos deixeis em paz p/ cair em tentação, mas livrai-nos dos malas...acho q tbém sou burro. abraço

E said...

ai que liiiinduuu!!!!!!

Bianca Rosolem said...

Isso aeh que vc tá falando é o que me disseram ser síndrome do pânico e fobia social, daí me receitaram uma porrada de remédios que me transformaram em uma samambaia decrépita.
É só essa grande má-vontade de conviver com essa gente estúpida demais.
Eu tô escrevendo no blônicas tbém, mas to quase desistindo. Tá foda de aguentar os "críticos" do lugar.
De qualquer forma, posso dizer - sem nenhuma criticidade - que as paradas que vc escreve estão muito mais legais.
Eu acho que vc está quase erudito, rs!

Bjo*

magrelazeda said...

gato nao fala nem transpira.
gato mia.
;)

Carlos Carah said...

Bianca,
não entre nessas de remédios.
é só chamar os amigos para tomar umas brejas.

você desapareceu.

um beijo,
carca

Bianca Rosolem said...

...é eu desapareci mesmo. Perdi o saco que eu já não tinha com galera - acho que vc sabe disso e entende tbém.
Tô numas de reencarnar aos poucos e quem sabe dou uma puta sorte e viro uma pedra no meio do oceano, rs!
Passa um email aeh e comunica uma cerveja que eu tento me teletransportar.
Vc leu Sayonara, Gangsters?

Bjo*