Wednesday, January 16, 2008

Ontem, bem tarde, o carro quebrou na porta da vila. Assim, de repente. Bem na entrada que também é a saída. Parou. Não ligava mais. Numa pisada mais vigorosa no pedal da embreagem, ele se soltou como um pêndulo. Eu estava bêbado e encostei a testa no volante. Tentava pensar numa forma de entrar pelo corredor e estacionar o carro. Coisa de 10 metros. Desci e abri o portão. Posicionei-me atrás do automóvel como um decrépito e empurrei. O grande porém é que tem uma lombada ali, uma porra de um quebra-molas na entrada e aquela desgraça não deixava o carro passar. Ele subia e voltava com tudo pra cima de mim. Tentei uma 5 vezes. Até pegando embalo. Cocei a cabeça por 3 segundos e decidi que nada poderia fazer. Fui em casa e peguei um papel e uma caneta: Sr. vizinho, meu carro quebrou. Por favor, me acorde para que possamos empurrá-lo. Obrigado. O cara me acordou às 5 e meia.

2 comments:

Adriano said...

Opala da madrugada
Ele vibra
(ele vibra)
Ele quebra
(ele quebra)
O ronco do seu motor,
era uma coisa inibalável.

Carlos Carah said...

a gente tinha que fazer um seriado só pra começar com essa canção.

ei, vou te mandar aquela música que te falei que a gente tinha que fazer uma animação.